quinta-feira, 13 de março de 2014

Governo desvia R$ 256 bilhões de recursos públicos para os bancos

Foto: memoria.ebc.com.br

Apenas em janeiro, gastos com juros somaram R$ 30,4 bilhões

Por Valdo Albuquerque (Hora do Povo)

Em janeiro, o desperdício de recursos públicos com juros totalizou R$ 30,399 bilhões, cifra recorde para o mês. Em 12 meses, foram desviados para o cofre dos bancos nada menos que R$ 256,606 bilhões, o equivalente a 5,30% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo números do Banco Central. Não se pode dizer que a equipe econômica não tenha caprichado em favorecer o setor rentista. Afinal, desde abril do ano passado os juros já foram elevados oito vezes, atingindo o patamar de 10,75% ao ano, no mês passado. Aliás, uma diretriz que vem de cima. Após as manifestações de junho de 2013, em um simulacro de satisfazer “as vozes das ruas”, em reunião com governadores e prefeitos, Dilma anunciou cinco pactos, que não foram avalizados por ninguém, dos quais o primeiro ponto era exatamente o de “Responsabilidade fiscal e controle da inflação”. E apenas este foi cumprido à risca. Todos sabem que a tal da “responsabilidade fiscal” – também pode ser “robustez fiscal”, “consolidação fiscal” etc. – nada mais é que o “belo primário” do ministro Mantega. Ou seja, o desvio de recursos orçamentários para garantir o pagamento dos juros estratosféricos, estabelecidos pelo próprio governo, para os bancos. O que por si só já era contraditório com os três últimos pontos (Saúde, Educação e Transporte). O segundo item era o “Plebiscito para formação de uma constituinte sobre reforma política”. Pois bem, no ano passado, o setor público gastou com juros a astronômica quantia de R$ 248,856 bilhões (5,18% do PIB), a maior de todos os tempos. Não foi à toa a declaração do presidente do Bradesco, Luis Carlos Trabuco, de que o setor financeiro “está confortável com Dilma”. Se os bancos estão confortáveis, o mesmo não se pode dizer da indústria, nem dos trabalhadores, que entregaram em 2010 a então candidata Dilma a “Agenda para o Desenvolvimento” – reapresentada para a já presidente, após a 7ª Marcha da Classe Trabalhadora - e até hoje não tiveram nenhuma reivindicação atendida. Já a indústria, assolada pelos juros mais altos do mundo, por um câmbio desequilibrado e pela desnacionalização galopante vive o pior dos mundos. Para encobrir o seu fracasso, o governo tem recorrido ao marketing puro e simples. Depois de ver o PIB levar sucessivos tombos, com a institucionalização do pibinho, o governo resolveu espalhar que a variação do PIB do Brasil no ano passado (2,3%) foi o terceiro maior do mundo. Não foi (v. matéria nesta página). O resultado pífio de 2013 se deveu em muito ao péssimo resultado da indústria (1,3%), que nem compensou a queda de mais de 2% de dois anos anteriores. O desempenho maior ficou por conta da agropecuária (7%). Um grande sucesso esse, de retroceder ao modelo agro-exportador de antes da Revolução de 30. Afinal, a desindustrialização, consequência da desnacionalização, está aí e o governo ao invés de combatê-la a estimula, com sua política de atração de investimento direto estrangeiro (IDE) e de capitais especulativos para cobrir o rombo das contas externas.

Um comentário:

  1. não serão=VOTADOS=depois de maio 2014 as tais-reinvindicações piso salarial nacional jornadas de trabalho sem redução salarial=mas principalmente as mais antigas=pois em=JUNHO=JULHO=terá=copa=do=mundo=e depois o tal=recesso= parlamentar=e depois as tais=eleições=majoritárias=presidência dobrasil =governador=deputados=senadores=e depois= recesso= parlamentar=e durante o ano inteiro de 2015 virá a tal reforma política e em 2016 as tais eleições minoritárias para prefeito e vereadores então outra oportunidade mas á nível nacional para qualquer tipo de reinvindicação das tais e tais categorias profissionais profissões saúde educação segurança pública e como dos de todos os outros trabalhadores??? talvez???veja bem talvez???talvez só em 2017 2018???talvez???

    =

    =pois os parlamentares brasileiros mas principalmente os dos poderes legislativos mas talvez para se esconderem=covardemente=mas atrás dos seus lindos e inflamados discursos então não permitem de forma nenhuma que nem ao menos para tudo e todos os seus=ELEITORES=VOTOS=saberem quem é=REALMENTE=dos tais parlamentares poder legislativos são realmente á favor e ou os que=REALMENTE=são-contra-istoé-tudo e todos –covardemente-se escondem mas só nos tais-lindos-inflamados discursos-dizendo que são á favor mas lá nos bastidores nos subterrâneos=são os que mais contribuem para que nada seja ao menos votado em plenário=e ali mostre a realidade a verdade e não as mentiras=é por quê realmente não quererem=votar=istoé-mostrarem-realmente-mas-quem é quem então procuram se esconder atrás de milhões de desculpas=VETOSPRESIDENCIAIS=IMPARCTOORÇAMENTÁRIO=RESPONSABILIDADEFISCAL=etc=etc=etc=

    =

    =alguns parlamentares para se esconderem vivem dizendo que tem medo do tal-VETO-PRESIDENCIAL-IMPACTOORÇAMENTÁRIO-RESPONSABILIDADEFISCAL-geralmente não levam nada disto em conta mas só quando são milhões e ou bilhões anuais mas=aí votam instantaneamente mas sem pestanejar sem pensar sem analisar sem medão aí vão com apetite e votam mas só o que é=REALMENTE=mas só á favor dos próprios políticos-como os seus aumentos mordomias benefícios=anualmente=e como também foi a tal=VOTAÇÃO=quase instantaneamente a tal=PEC-DOS-VEREADORES=eoucomo-a-tal-bilionárias=CRIAÇÃO-DE-NOVISSISSIMOS-ESTADOS-MUNICIPIOS-PREFEITURAS=etc

    =

    =e como os tais-bilhões anualmente-em=PERDÕES=DOAÇÕES=EMPRÉSTIMOS=mas que são mas só á favor das-empreiteiros-empresários-bilionários-da-saúdebrasileira=usineiros-banqueiros-times de futebol-ditadores-latinos-africanos-e-outros-como recentemente votaram em plenário câmara senado federal mas sabendo que talvez a presidenta=vetou=o-tal=perdão-em-mais-de-2,2,bilhões-aos tais-planos de saúde-e como os bilhões anuais perdoados por parte-do=INSS=PREVIDENCIASOCIAL=SEGURIDADESOCIAL=aos-times de futebol-ong’s-ás tais-entidades instituições que insistem em dizer que são=sem=fins=lucrativos=mas esquecem que os mesmos parlamentares depois=QUANDO=QUISEREM =podem derrubar os tais-VETOS-PRESIDENCIAI=istoé quando querem votam em plenário mesmo sabendo que ali tudo será=vetado=

    =

    =então na verdade não votam nada mas na verdade=é por quê realmente não quererem=votar=istoé-mostrar-realmente-mas-quem é quem=pois depois de maio 2014 nada será votado em plenário mas só o acima dito e ou fora as tais-MEDIDASPROVISÓRIA-PROJETOSLEIS-URGENTES-URGENTISSIMA-PRESIDENCIAL-aonde tranca-se a tal-PAUTA-VOTAÇÃO-NO=CONGRESSO-NACIONAL-isto é-RESQUÍCIOS-DO-TAL-AI-5=DITADURAMILITAR-aonde o=PODER EXECUTIVO=é que dá o TOM o RITMO e ORDENS IMPERIAIS DITADORIAIS de cima para baixo impondo mas do que pode e ou não pode ser votado-IMPONDO ENCIMA DO PODER LEGISLATIVO-o qual poder legislativo- vivia e ainda vive dizendo ser-INDEPENDENTE-AUTONOMIA-mas vive sob o manto e embaixo dos pés do poder executivo á nível federal estadual municipal distrital=mentira???pesquisem-imparcialmente???

    ResponderExcluir