domingo, 29 de novembro de 2009

Arruda: "Caixa de Pandora"



O vídeo foi gravado em um dos gabinetes de uma empresa do governo do Distrito Federal. Câmeras escondidas registraram um encontro do então presidente da Companhia de Desenvolvimento do Planalto, Durval Barbosa, com José Roberto Arruda, na época candidato a governador, em agosto de 2006.

Arruda teria ido ao gabinete para pegar o dinheiro. Na cena, Durval entrega um maço de dinheiro na mão do atual governador do DF, que diz: "ah, ótimo!"

E continua... "Você podia me dar uma cesta, um negócio aqui."

Durval guarda o dinheiro em um envelope, sai de cena, e volta com uma sacola que deixa em cima da mesa. Arruda faz uma pausa, pensa melhor e diz: "eu estou achando que você podia passar lá em casa porque descer com isso é ruim."

Pouco depois, Arruda pede à um assessor: "Rodrigo, leve isso pro carro pra mim."

De acordo com as investigações, o dinheiro seria fruto do pagamento de propina por empresas que prestavam serviços para o governo do Distrito Federal.

O advogado do governador, José Gerardo Grossi, disse que o dinheiro mostrado nas imagens foi usado para comprar panetones, que seriam distribuídos para pessoas carentes do Distrito Federal.

Em um outro vídeo, o assessor de imprensa Omésio Pontes e o Domingos Lamoglia, ex-chefe de gabinete de Arruda e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal, aparecem recebendo quatro maços de dinheiro. Os dois não foram loicalizados para responder à reportagem.

Esses vídeos a que a Rede Globo teve acesso foram entregues à Policia Federal e ao Ministério Público Federal e agora fazem parte da investigação comandada pelo Superior Tribunal de Justiça.

De acordo com o inquérito, os vídeos não têm sinais aparentes de montagem. E foram encaminhados ao instituto nacional de criminalística, onde estão sendo periciados.

CAIXAS EM CASA DE SECRETÁRIO GERAM DESCONFIANÇA NO DF

O colunista Cláudio Humberto informa que "despertou a desconfiança de moradores da QI 8 do Lago Norte, em Brasília, a entrega de pelo menos sete grandes caixas de madeira com inscrições que denunciam sua origem: a indústria União Química e Farmacêutica S/A, fornecedora de material hospitalar. Todos ficaram com muitas pulgas atrás das orelhas: afinal, o dono da casa, Fernando Antunes, é o influente secretário-adjunto de Saúde do Distrito Federal".
Fonte: Estação da Notícia

ARRUDA VISITOU O RELATOR PARA SABER DETALHES DO PROCESSO

O governador José Roberto Arruda esteve há cerca de dez dias, no gabinete do relator do processo, ministro Fernando Gonçalves, e fez perguntas sobre a investigação. O relator não gostou da atitude suspeita do governador e comunicou o fato a subprocuradora da República, Raquel Dodge, que presidiu as investigações no ministério Público Federal. Diante da "visita" de Arruda ao ministro, a Polícia Federal decidiu antecipar a operação Pandora para a manhã desta sexta-feira. Arruda se complicou ainda mais.
Fonte: Blog do Donny Silva

ARRUDA RENUCIARÁ AO MANDATO

Diante da gravidade das acusações, dos fatos, das fotos e das gravações feitas principalmente pelo secretário de Assuntos Institucionais do GDF, Durval Barbosa, para ajudar a Polícia Federal a desbaratar esquema de corrupção no GDF, o governador José Roberto Arruda não vê outra saída a não ser pedir, ainda hoje, a renúncia de seu mandato. A situação é extremamente grave e para evitar desgastes ainda maiores, a solução para tentar salvar alguma do DEM, é a imediata renúncia de Arruda. Seu vice, Paulo Octávio, já se prepara para assumir o mandato. Arruda foi traído dentro de seu próprio gabinete. É esperada para as próximas horas, a divulgação do vídeo em qua Arruda e Durval falam sobre o encaminhamento de R$400 mil. As consequências são escandalosamente irreparáveis. Neste momento, Arruda conversa com sua turma em Águas Claras, mas diante do que será revelado já a partir de hoje à tarde, não lhe restará outra alternativa, a não ser renunciar pela segunda vez em sua vida pública. Afinal, o Brasil verá e ouvirá, novamente, o político Arruda metido em escândalo.
Fonte: Blog do Donny Silva

"É LAMENTÁVEL", DIZ RORIZ

Do Blog do Noblat:

“Do ex-governador Joaquim Roriz, hoje, em telefonema para um amigo: “A que ponto chegamos… Nunca imaginei que pudesse haver corrupção no governo do Arruda. É lamentável”.
Ontem à noite, Roriz havia antecipado em conversa com assessores a operação detonada hoje pela Polícia Federal para recolher documentos que provem a existência de um suposto mensalão local patrocinado pelo governador José Roberto Arruda, do DEM.
Durval Barbosa, que delatou à polícia o suborno de deputados distritais e licitações irregulares, é o atual secretário de Relações Institucionais do governo Arruda. Em 2003, era o presidente da Companhia de Desenvolvimento do Planalto Central (Codeplan) do governo Roriz.
No fim da campanha de 2002, quando Roriz, governador, era candidato à reeleição, Durval foi um dos personagens de escândalo apurado pelo Ministério Público do Distrito Federal.
Roriz está eufórico. Arruda tomou-lhe o PMDB. Tomou-lhe os principais aliados - entre eles o deputado Tadeu Felipelli (PMDB), no passado tratado por Roriz como seu possível herdeiro político.
Roriz foi obrigado a se filiar ao PSC para ser candidato à sucessão de Arruda. O PSC só terá 1 minuto de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão durante a campanha - contra mais de 15 minutos da coligação de partidos que apóia Arruda.
A esperança de Roriz é que a coligação em torno de Arruda se desmanche. E que vários partidos troquem de lado. A próxima será uma das campanhas para governador mais sujas da história do Distrito Federal. Há dossiês contra todos os prováveis candidatos. Nenhum escapará incólume.”
Fonte: Blog da Paola Lima

Vídeo de propina no inquérito

Do iG: O secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, gravou uma fita de vídeo, anexada ao inquérito pela Polícia Federal, na qual o governador de Brasília, José Roberto Arruda, recebe uma suposta propina de R$ 400 mil. As apurações da PF, segundo cópia do inquérito obtida pelo iG, chegaram a um desvio R$ 60 milhões em obras, licitações e contratos de informática de diversas secretarias do goverrno do Distrito Federal. Barbosa foi um dos principais colaboradores da Operação Caixa de Pandora, realizada na manhã desta sexta-feira pela Polícia Federal.
Vários agentes da Diretoria de Inteligência da PF cumpriram mandado de busca e apreensão na residência oficial do governador José Roberto Arruda do DEM, em secretarias do governo e em gabinetes de deputados na Câmara Legislativa. Durval colaborou com a PF gravando escutas ambiente e vídeos de membros do governo e deputados distritais discutindo sobre a partilha de propina.
A história sobre a existência desse vídeo circulava por Brasília há algumas semanas. Segundo a reportagem do iG apurou, Durval atuou como colaborador em troca de abrandamento da pena. Durval Barbosa já trabalhou para o ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, adversário político de José Roberto Arruda e que também esteve sob investigação.
Arruda, eleito governador do Distrito Federal pelo DEM em 2006 e cotado como um dos possíveis candidatos a vice-presidente na chapa do tucano José Serra, é um dos alvos do inquérito, presidido pelo ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça. Ele expediu os mandados de busca e apreensão – não houve, até o momento, nenhum pedido de prisão.
Fonte: Blog da Paola Lima

Comunicado do STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou operação de busca e apreensão pela Polícia Federal em residência, local de trabalho ou sede de 16 pessoas físicas e jurídicas, com o objetivo de coletar provas sobre suposta distribuição de recursos ilegais à “base aliada” do governo do Distrito Federal. A determinação se deu em inquérito policial que apura a possível participação de autoridades com foro privilegiado no STJ nessas atividades.
As buscas e apreensões decorrentes da autorização foram acompanhadas por procuradores do Ministério Público Federal nos 24 locais indicados, sendo 21 no Distrito Federal, um em Goiânia (GO) e dois em Belo Horizonte (MG). A medida visa descobrir provas e indícios de eventual vínculo mantido entre os investigados e a suposta participação de cada um em atos ilícitos.
O despacho do ministro relator, acolhendo pedido do Ministério Público, determinou que as buscas fossem feitas com discrição, de modo a assegurar a intimidade e preservar os direitos subjetivos dos investigados. Nesse sentido, “as diligências deverão ser realizadas com absoluta discrição”, “de modo a causar o menor incômodo às pessoas envolvidas” e “a causar o menor dano possível aos bens dos investigados”.
Para manter o sigilo da operação até que fosse deflagrada, determinou o ministro relator que não seria permitido que se informasse ou que se convocasse a imprensa. Do mesmo modo, nas diligências foi proibida a utilização ostensiva de vestimentas da Polícia Federal, assim como a exposição desnecessária de armamentos pesados.
As investigações sobre suposto repasse de recursos de origem ilícita foram reforçadas pela delação de um ex-secretário de Estado do Distrito Federal, que aceitou que fosse instalado em suas roupas equipamentos de escuta ambiental. Em função disso, foi aberta a ele a participação em programa de proteção de testemunhas da Polícia Federal. Concluída a operação, o relator levantou o segredo de justiça imposto ao inquérito.
Fonte: Blog da Paola Lima

A tempestade depois da Calmaria

Alguém lembra disso?

“Por falar em chuvas, há quem aposte que uma tempestade política está para chegar no Distrito Federal. É que, nos últimos dias, uma certa calmaria tomou conta do cenários políticos da cidade. Para um parlamentar experiente em casos de polícia, isso é sinal de que algo grande está por vir. “Quando no presídio tudo se acalma, pode ir atrás: tem alguma coisa, nem que seja um túnel começando a ser cavado”, comparou. Será que algum túnel surgirá em breve?”
Publicado neste blog no dia 12 de novembro.
Fonte: Blog da Paola Lima

R$ 700 mil com os envolvidos

Do G1: A Polícia Federal usou 150 agentes na Operação Caixa de Pandora, que investiga um esquema de repasse de dinheiro a aliados do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), e apreendeu R$ 700 mil em dinheiro durante as buscas realizadas nesta sexta-feira (27) em Brasília, Goiânia e Belo Horizonte. A PF fez buscas na residência oficial do governador, em casas e gabinetes de secretários do governo, de deputados distritais e em empresas. A PF não informou se o dinheiro foi apreendido em apenas um dos locais de buscas. No total, os mandados de busca e apreensão eram para 21 pontos no Distrito Federal, dois em Belo Horizonte e um em Goiânia.
Fonte: Blog da Paola Lima

CAIXA DE PANDORA NO GDF

A sexta-feira amanheceu movimentada na cidade. Uma operação da Polícia Federal parou a Câmara Legislativa no início da manhã com um mandado de busca e apreensão, assinados pelo ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), nos gabinetes dos presidente da Câmara, Leonardo Prudente (DEM), da líder do governo na Casa, Eurides Brito (PMDB) e do presidente da CCJ, Rogério Ulysses (PSB). Os agentes deixaram a Casa com documentos, malotes e até computadores. Busca semelhante foi feita também na casa do suplente de distrital Pedro do Ovo (PRP), no Gama.
A operação abrange ainda gabinetes e assessores e secretários do GDF. Os agentes PF também foram ao anexo do Buriti, Tribunal de Contas do DF e empresas privadas do DF. Como parte da investigação existem ainda áudios e vídeos, autorizados pela Justiça. Apesar da Polícia Federal não revelar o motivo das investigações, pois o inquérito está em segredo de Justiça, a origem teria sido licitações fraudulentas e pagamento de propina.
Fonte: Blog da Paola Lima

Pente-fino no GDF

Além da Câmara Legislativa, os agentes da Operação Caixa de Pandora foram também à casa do presidente da Câmara, Leonardo Prudente (DEM) e aos gabinetes do secretário-chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, do secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, do assessor de imprensa do GDF, Omézio Pontes, do novo chefe de gabinete da Governadoria, Fábio Simão, e do secretário de Educação, José Luiz Valente. Agentes da PF foram ainda na Residência Oficial de Águas Claras.
Update: Informações do Correio Braziliense revelam que a autora da ação é a subprocuradora-geral da república Raquel Dodge e o coordenador da ação é o chefe de inteligência da PF, delegado Marcos Davi Salém.
Fonte: Blog da Paola Lima

Dinheiro para base aliada

Mais detalhes do iG: Gravação realizada em 21 outubro de 2008 pelo secretário de Relações Institucionais do governo do Distrito Federal, Durval Barbosa, revela o repasse de R$ 400 mil ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que, segundo inquérito da Polícia Federal (PF) obtido pelo iG, deveriam ser entregues ao secretário de Estado, José Geraldo Maciel, para pagamento da “base aliada”.
De acordo com a investigação da Polícia Federal, Durval declara que, além dos R$ 400 mil, “outros R$ 200 mil terão aquele destino”. Ainda segundo o inquérito, o dinheiro seria “dissipado em diversos pagamentos menores para pessoas ainda não identificadas”.
As escutas citam três pessoas envolvidas no repasse de parte do dinheiro: o secretário de Educação do DF, José Luiz Vieira Valente, que teria recebido R$ 60 mil da Infoeducacional; Domingos Lamoglia, conselheiro do Tribunal de Contas do DF, apontado como um dos operadores do esquema; e Gilberto Lucena, um dos proprietários da Linknet, que, segundo a investigação, encaminhou R$ 34 mil a Durval.
Segundo a PF, as empresas Infoeducacional, Vertax, Adler e Linknet, que prestam serviços ao Governo do Distrito Federal, também participam do repasse ao “esquema crimminoso” dos R$ 600 mil rastreados pela polícia.
Fonte: Blog da Paola Lima

Secretários afastados do GDF

O GDF acaba de soltar nota oficial sobre a operação Caixa de Pandora:

“O Governo do Distrito Federal, informado da Operação da Polícia Federal que envolve servidores de diversos escalões, está se inteirando dos fatos e agirá com equilíbrio e o rigor que a situação exige. Todos os servidores citados foram afastados de suas funções até a completa apuração. A determinação do GDF é contribuir com as investigações para a completa e cabal apuração dos fatos.”
Apesar disso, o governador José Roberto Arruda já afastou oficialmente o secretário de Educação, José Luiz Valente, o secretário-chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, o chefe de gabinete Fábio Simão e o assessor de imprensa do GDF, Omézio Pontes.
Fonte: Blog da Paola Lima

Agnelo pede minúcia na investigação

Pré-candidato do PT ao GDF, o ex-ministro Agnelo Queiroz soltou uma nota sobre a Operação Caixa de Pandora, em seu blog oficial. Segue a nota:
“Os fatos que vêm sendo relatados pela imprensa são gravíssimos. Vamos aguardar as conclusões do Ministério Público e da Polícia Federal para ter a exata dimensão das ilegalidades e das irregularidades cometidas por integrantes do governo do Distrito Federal e da Câmara Legislativa que estão sendo investigados. O importante, agora, é que tudo seja minuciosamente apurado e os culpados exemplarmente punidos administrativamente, pela Justiça e pelo povo, farto das práticas ilícitas no trato do dinheiro público.”
Fonte: Blog da Paola Lima

Roriz é eleito presidente de honra do PSC

O ex-governador Joaquim Roriz teve uma surpresa ontem à noite no jantar de confraternização da direção nacional do PSC (Partido Social Cristão) com a bancada federal e os presidentes estaduais do partido: ele foi aclamado, por unanimidade, o novo presidente de honra nacional do partido.

“É uma manifestação que me enche de orgulho e aumenta a minha responsabilidade diante do partido”, agradeceu Roriz, à executiva nacional do PSC, ao senador Mão Santa (PI), aos 17 deputados federais e aos 27 presidentes estaduais. Em um breve discurso, Roriz lembrou sua trajetória política, de vereador a governador do Distrito Federal por quatro vezes.

“Indico o nome de nossa maior liderança para a presidência de honra do PSC”, anunciou o presidente nacional do partido, Pastor Everaldo, antes de colocar o nome do ex-governador do Distrito Federal em apreciação. Por unanimidade, todos os presentes elegeram Roriz o novo presidente de honra do PSC nacional.
Fonte: Blog do Azul

RORIZ EM SANTA MARIA E NO RECANTO DAS EMAS

O candidato ao GDF Joaquim Roriz almoçará nesta sexta feira 27, no restaurante comunitário de Santa Maria, cidade que criou. No cardápio, muita conversa com a população e a tradicional feijoada das sextas feiras nos restaurantes comunitários. Também estarão presentes o deputado distrital e pré-candidato ao Senado Junior Brunelli, o deputado federal Laerte Bessa, e a a pré-candidata a deputada federal Mariani Vicentini e os presidentes do PTdoB, PSC, PSDC e PRTB. Já no sábado, Roriz estará no Recanto das Emas, cidade que também criou, para mais uma Caravana de Filiações do PSC. O evento acontecerá na quadra 300 avenida Recanto das Emas, em frente ao Supermercado Tatico. Segundo Valério Neves presidente do PSC, Roriz acredita que no Recanto das Emas seja batido o novo recorde de filiações, que atualmente é da cidade do Paranoá.
Fonte: Blog do Donny Silva

Do “G1”, veja também:

DEM afirma ter 'confiança' em Arruda, governador do DF
Inquérito aponta existência de vídeos que comprovariam mesada a deputados do DF
Transcrições mostram Arruda negociando divisão de dinheiro no DF
Veja o inquérito do STJ sobre repasse de verbas no governo do DF
Governo do DF exonera secretário que delatou suposto esquema de corrupção

Veja o inquérito completo e tire as suas próprias conclusões:
Apensos 1
Apensos 2
Apensos 3
Inquérito volume 1
Inquérito volume 2
Inquérito volume 3

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário