segunda-feira, 10 de maio de 2010

Fernando Collor confirma pré-candidatura ao governo de Alagoas

Fernando Collor: "Sou pré-candidato ao governo de Alagoas"

Senador também anunciou repasse de R$ 350 milhões para construção da avenida que vai ligar a Vila Brejal a Fernão Velho

Gazeta de Alagoas - "Sou pré-candidato a governador", declarou o presidente da Comissão de Infra-Estrutura do Senado Federal, senador Fernando Collor de Mello (PTB), pondo fim às diversas especulações em Alagoas a respeito das eleições deste ano. Em entrevista a uma emissora de rádio de Maceió, na manhã desta segunda-feira (10), o ex-presidente da República declarou que iria submeter seu nome à avaliação do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e às coligações lançadas pelos grupos políticos.

Não fornecendo detalhes a respeito das articulações atuais, o senador - e agora oficialmente pré-candidato - sinalizou o interesse de ter na chapa, como candidato a vice, o deputado federal Joaquim Beltrão (PMDB). No cenário nacional, Fernando Collor adiantou que apoiaria à presidência da República a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Roussef (PT). O senador também afirmou que procuraria o prefeito Cícero Almeida (PP) para tê-lo como um possível aliado.

Campanha eleitoral

Questionado se haveria 'as forças do mal e as forças do bem' em Alagoas - como provocado por possíveis adversários no pleito de outubro próximo -, Collor afirmou ser necessário que os políticos utilizem o espaço destinado às campanhas para divulgação de propostas. "Estamos ligados ao propósito de fazer o bem sem olhar a quem. Não é fazer o bem seletivamente. A tal setor ou área porque interessa politicamente a 'fulano' ou 'beltrano', mas para a comunidade de modo geral", lembrou. "Em campanha política, as paixões ficam muito desenfreadas. O clima fica sempre muito tenso, de modo que, ao invés de se discutir projetos, o que se verifica é um ataque pessoal de um contra o outro, o que desvirtua o objetivo da campanha eleitoral", emendou.

Durante a entrevista, o senador Fernando Collor confirmou o repasse de R$ 350 milhões para a construção da 'Via Lagunar', avenida que pretende interligar Vila Brejal a Fernão Velho. Previamente denominada ‘Avenida Presidente Luís Inácio Lula da Silva’, a obra integra um marco regulatório da referida comissão, composta por quatro projetos voltados ao saneamento, numa iniciativa do próprio senador Fernando Collor.

Leia mais...

    Obras da Via Lagunar

    "A ideia seria dar continuidade à Vila Brejal até Fernão Velho, com três pistas de rolamento em cada sentido", esclareceu. Segundo explicações do senador, essas pistas estariam margeando a lagoa que, por sua vez, seriam submetidas a um trabalho de desassoriamento. "A última vez em que a lagoa passou por processo de desassoriamento foi em minha época, como governador, em 87 ou 88. O resultado é que a lagoa hoje está morrendo e as marisqueiras têm cada vez mais problemas, sobretudo nos olhos, quando mergulham sem proteção para retirar os mariscos que vão alimentar sua família e mais de 200 mil famílias em Alagoas. A poluição têm desencadeado problemas sérios", comentou.

    O senador defendeu que a obra não só terá como vantagem a conclusão da pista sob um orçamento mais baixo, incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), como também vai desafogar o trânsito naquela região, trazendo um acesso direto a Fernão Velho, além do desassoriamento e saneamento da lagoa Mundaú. "Chegando em Fernão Velho, ela sobe pela ladeira atingindo o final da Fernandes Lima, já próximo à sede da Polícia Rodoviária Federal", esclareceu.

    "Nós faremos um trabalho, do mesmo modo que foi feito o Dique Estrada, como uma continuação e, em cima do Dique, seriam construídas as pistas", explicou, lembrando o processo de construção do Dique Estrada. "Cada momento de chuva, o nível da lagoa subia e invadia todas as casas que abrigavam milhares de família. Então o que fizemos? Com a areia que nós tiramos do fundo da lagoa, que estava assoriando, jogamos para fazer o dique. Hoje ele contém os avanços da lagoa e, em cima do Dique, foram construídas as pistas e os equipamentos urbanos - com campos de futebol e praças -, que, posteriormente, foi tomado em função da necessidade das pessoas se abrigarem", relembrou.

    De acordo com o senador, os investimentos para a obra devem ser repassados para o Município, que ficaria responsável por sua execução.

    Prazos e estaleiro

    Embora os recursos tenham sido garantidos, o senador afirmou ainda não haver prazo para sua execução. "Nós sabemos, com estes anos de vida pública, que só podemos confiar cem por cento quando os recursos estiverem depositados. A burocracia é morosa. Sempre falta uma petição", afirmou, lembrando do episódio do estaleiro. "De repente veio um técnico, não sei de onde, e disse que o estaleiro não poderia ser construído", comentou Fernando Collor, acrescentando que a questão já foi solucionada. "A ministra reconheceu que o parecer técnico estava fraco e sem embasamento técnico e, na semana passada, o governador Teotônio Vilela assinou com a transferência do licenciamento do Ibama para o Ima".

    Saneamento básico

    O senador Fernando Collor também trouxe à tona a necessidade de se voltar a atenção ao problema do saneamento básico. "Em São Paulo, o hospital Sírio Libanês, uma das maiores referências mundiais, trouxe em seu relatório a informação de que 65% dos atendimentos ambulatoriais feitos pelo hospital foram por doenças causadas pela má qualidade do abastecimento de água e do saneamento. Maceió é considerada o 'Paraíso das Águas', mas suas águas estão todas poluídas", comentou, mencionando casos tradicionais como a Praia da Avenida, Sobral e Salgadinho, além das bacias da Pajuçara, Ponta Verde Jatiúca, Cruz das Almas, Riacho de Jacarecica e, recentemente, Guaxuma.

    "Quando o setor imobiliário autorizou a construção de prédio de até 20 andares, fiquei preocupado. Conversando com os integrantes do setor, perguntei o que eles pretendiam. Como seria feito o saneamento? Fossas sépticas? Rebaixamento dos lençóis freáticos? Ainda assim não seria o suficiente. Eles disseram que seria caro, então que incluam no valor do projeto, tendo aí grande mote para campanha: 'compre apartamento e desfrute de uma praia que não é poluída', já que todas as outras estão", sugeriu.

Um comentário:

  1. Muito bom eu moro no conjunto Medeiros Neto na Santa Amélia ,e essa pista ligando a Vila Brejal a Fernão Velho,vai facilita e muito desafogando o trânsito que muitas vez ocorrer em garafamento em Bebediuro e gasto 1 hora e 30 para chega ao trabalho no centro de Maceió ,parabéns senador Fernando Collor pela brilhante idéia !

    ResponderExcluir